Quase

Sentia-me culpada por não ter dito o quanto tu eras importante para mim. Essa culpa só foi amenizada por saber que, eu e você, nunca fomos nós. Só éramos uma miragem de um possível romance. Era um quase. Sei que chegamos bem perto, nada além disso. Nem por isso, deixou de ser marcante. Talvez eu nunca te esqueça. Talvez tu não me esqueças. Sabe por quê? Foi intenso demais para ser esquecido. 
Lembro que por instante tu disseste: “como é bom estar com você.” Meu coração correspondia positivamente. Percebia que tu querias ouvir isso também. Porém, preferi o silêncio. No fundo, eu sábia que tu não farias morada. Afinal, eu era apartada do seu ser, mesmo estando nesse quase incrível romance. 

Escrito por Aline Goulart

2 comentários :

  1. Oi,Aline!E de quase em quase nos poupamos por medo de viver,por medo de chorar e sofrer, e por medo de sofrer acabamos por sofrer mais...
    Beijosss

    ResponderExcluir
  2. Sinto-me assim.
    Será que devo falar?

    ResponderExcluir

❋ Layout e conteúdo por Aline Goulart.
❋ Todos direitos reservados © 2012-2017.
| Voltar para o topo ▲ |