Da confissão

(...)

há um nó 
na minha garganta 

toda vez que lembro 
de tudo 

e penso 
no agora e no futuro 

o meu olhar distante 
- que beira à confissão - 
não deixa mentir: 

aqui há uma dor imensurável 
e uma saudade infinita.

Escrito por Aline Goulart

7 comentários :

  1. Há dores que não conseguimos esconder e os mais sensíveis conseguem captar até olhares disfarçados.
    Belos versos.

    Obrigada pelo carinho com a hortinha. Mesmo em espaço pequeno é possível cultivar algumas ervas em vasinhos. Elas precisam de poucos cuidados e sol diário. Se tiver um cantinho assim onde vc mora, arrisque!

    Abraços esmagadores e feliz dia.

    ResponderExcluir
  2. Emocionada...

    Bjos, Si

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, Aline.
    A dor pior é a da alma, esta não tem cura, tem alívio, quando vemos que não depende de nós, que nada pode ser feito.
    Só Deus para tirar esse aperto do nosso peito e nos fazer prosseguir com a saudade que sempre existirá.
    Muito bom.
    Fique na paz de Deus.
    Tudo de bom.
    Beijos na alma.

    https://www.facebook.com/poetapatriciapinna/


    http://www.recantodasletras.com.br/poesias/5895998


    http://redescobrindoaalma.blogspot.com.br/2017/02/o-nascimento-da-estrofe-by-patricia.html

    ResponderExcluir
  4. Uma confissão dolorosamente bela...
    Terno abraço, minha querida amiga.
    ~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  5. Descreveu na perfeição uma dor muito íntima.

    Beijinho

    ResponderExcluir
  6. Uma confissão muito bela...
    Que as saudades do passado... se tornem lentamente em saudades de futuro... muito futuro pela frente...
    Beijinho
    Ana

    ResponderExcluir

❋ Layout e conteúdo por Aline Goulart.
❋ Todos direitos reservados © 2012-2017.
| Voltar para o topo ▲ |